quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Este Ano é DEZ!


QUE VENHA 2010!!

O ANO DA VALENTINA! UM ANO MARCANTE!

Que todos tenham muitos sorrisos e que possamos compartilhar desta ALEGRIA que aconteceu na nossa vida em 2009. Será a continuação de um gradioso e maravilhoso plano! Acima de tudo SAÚDE! Pois sem ela, todo o resto não é possível.

beijos, Lica, Rô e Nina

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

JOYEUX NOËL!



FELIZ NATAL A TODO MUNDO!!

Especialmente às mãezinhas com seus filhotes agarrados às pernas, às barrigudinhas (ou barrigudonas) com seus filhotes no 'marsupio' e àquelas que estão nos finalmentes à beira da maternidade, como eu!!

Apesar dos 8 meses e do peso, ontem foi uma movimentação só. Me disponibilizei para fazer o menu de Natal na casa dos anfitriões Angela e Heitor e fizemos uma linda festa. Muito trabalho, de dia e à noite, muito tempo em pé, muito, MUITO calor paulistano e , claro, pés inchados ao final da festa (por volta das 4h30 da matina!!!).
Foi ótimo, todos gostaram e até Heitor falou que foi uma das melhores ceias da vida dele!! hahaha .. é que concordo.. geralmente os menus são sempre os mesmos, repetitivos, meio secos...:-)
Bom, nao deixamos de comer peru, frutas secas etc e ainda fiz para as entradas um enroladinho de camarão empanado no 'cabelo de anjo', bruschettas de rucula, parma e queijo de cabra e depois de prato principal (quando todo mundo ja tinha comido a granel!!) um carré de cordeiro com risoto de figo seco com brie. E pour la grande finale duas tortas quiches de chocolate (uma com frutas vermelhas e outra com castanha do pará) que também fiz um dia antes. Comemos MUITO!

Enfim, muito trabalho , mas prazeroso. Um parêntese: o papai Rô ficou a tarde com o 'titio' Marcio fazendo armário enquanto eu cozinhava... todos em plena atividade. Depois dos vários furos que tivemos de não entrega do que compramos, o Rô mesmo decidiu encarar a 'construção do armário. Que bom!! Esta quase pronto, só faltam as portas.

Bom, é isso. Seguem umas fotinhos informais da nossa festa entre amigos.

Bisoux e Bom finzinho de Natal!!!
















sábado, 19 de dezembro de 2009

Oitavo Mês






Bem grandona né?? Mas vou dizer a vocês ... ainda bem, não esta incomodando tanto quanto todas as mulheres perguntam e algumas gravidas passam nesta época. Tenho dormido muito bem e ainda não inchei. Mas claro que atividades triviais como colocar uma sandália, se abaixar (só de cocoras!!) e ficar muito tempo de pé ou sentada tornam-se mais difíceis.
Mas estou contente! Inclusive firme e forte na Yoga.

Na segunda-feira, nossa doula vem de novo em casa para conversarmos melhor sobre o momento do parto em si e suas etapas . Apesar de eu ja estar quase expert só lendo relatos (claro que na hora são oooutros 500).
Ah, outra novidade boa é que a minha querida médica deixou comigo emprestada a maquininha dela (sonar) de escutar o coraçãozinho da minha Nina... Engraçado foram as palavras dela o me dar o aparelho: " Mas não é pra ficar neurótica não viu!?" hahaha... O interessante é que , como Valentina mexe muuuito, eu nem estou tão fixada na maquina. E tambem creio que pra não perder o ' glamour' da sensação de escutá-la! :-)

Ah, tenho sentido muitas contrações de Braxton Hicks, que são espécies de contrações de ensaio, comuns no final da gestação e indolores. Mas a barriga fica uma pedra!!! Acho que daria pra construir prédios com 'úteros duros'..rsss... (que sórdido!!). É potência! Poderoso!

Beijitos

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Minha mortadelinha!

Quase 35 Semanas!! E minha gatinha ainda está fazendo contorcionismo à la Cirque du Soleil na minha barriga. Ainda atravessada meio sentada. E eu cruzando os dedos e conversando com ela todos os dias pra que dê logo um Aú (no bom linguajar capoeirista) e vire de cabeça pra baixo. Tem dias que mexe tanto à noite que eu fico crente que ela vai virar. Se não, a danada dá umas esticadas de um lado a outro que minha barriga fica praticamente quadrada na horizontal (olhando de cima). Digo que estou com uma big mortadela ao longo da barriga! haha Tadinha!

Tenho me preocupado... esta ultima semana, comecei a pensar em algo que até então nem queria cogitar: a cesária. Infelizmente, até independente da posição pélvica de Nina, tenho que pensar na hipótese (me lembrei agora de uma dessas ativistas de PN, que se referindo à cirurgia falou "ECA, duplo eca!" hahaha muito engraçado). Tenho até que saber mais sobre a tal e sobre recuperação pós-parto. Acreditam que até agora não queria pensar nisso?? Nem me imaginava em casa, meio lenta , encurvada, me recuperando da cicatriz! Snif... mas tenho que pensar.

Porém, também me apego a depoimentos e histórias de mulheres cujos filhos viraram nas ultimas semanas ou mesmo no momento do parto. A literatura diz que em geral eles viram em torno das 29 semanas. :-( Amanha voltarei na médica para fazer um pouco de acupuntura com moxabustão , que em vez de agulha é um bastãozinho de carvão que queima na altura do dedo midinho do pé! Louco né??! Também tenho feito vez ou outra uns exercícios, mas ja ouvi várias pessoas dizendo que não adianta de nada. Inclusive minha mãe , que no maior ' acesso de apoio' disse um gutural "Ah, eu não acredito nisso"! Bom, melhor respirar fundo e nem retrucar.

Falando em pós-parto, este sábado fomos eu e o Rô num curso de cuidados com o bebê. Por sorte nossa, e ótimo pra ele, a professora era uma psicóloga freudiana, com quem Rodrigo se identificou muito. Uma pessoa super fléxível, sem regras pré-estabelecidas e apoiada no velho 'bom-senso'. Ela também dá assistência domiciliar no pós-parto, amamentação e para mães com baby-blues, depressão....
Titulo da apostila: 'Desmistificando a chegada do Bebê' :-) Filosófico não?! Nada melhor! Assim derruba um pouco a idéia de que só somos pais certos ou errados por ter ou não feito isso ou aquilo. Enfim, o curso foi muito bom e proveitoso. Fiquei doida pra dar banho e trocar fraldinha na pequenucha.

Ah, acho que não falei, mas semana passada tambem fomos na Maternidade Santa Catarina, onde vou ter. Tudo oK. Gostei de quase tudo, mas me decepcionei um pouco com a falada LDR (Labor Delivery Room) , um quarto feito exclusivamente para mulheres passarem seu trabalho de parto , com banheira (água é importantíssimo nesta hora). Enfim, achei um tanto pequena e hermética. Fazer né??! Não posso esperar que um hospital tenha uma Jacuzzi grande, ou um ofurô de madeira, com plantas e flores ao redor, aromáticos, grandes janelas abertas e vista para o mar...! hahahahahaha Meu proximo filho teria que parir em Barra Grande! Fica o sonho. hehehe

beijos, Lica, Rô e Nina

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

UPdate (ou Vira filha!)

Hoje estive na minha médica, ela disse que estou ótima, que não inchei nada e que devo engordar uns 11 quilos só. Muito legal. Nem estava tão preocupada assim, mas é ótimo saber que não devo passar muito do que eu imagiva.. E inclusive estou pesando a mesma coisa que há umas duas semanas atrás. Aliás, acho que é porque tem ficado difícil comer e, sobretudo, comer muito. Por duas razões principais: a insuportável azia e a sensação de estar muito estufada, esticada, quase explodindo e, às vezes, até com falta de ar depois de comer. Então já dá um desânimo. Não posso ter acessos de gula! Minha pressão também está boa e ela passou mais uma bateria de exames para vermos como esta o resto.

Outra coisinha também tem me incomodado: minha pele está bem estranha. Estou tendo muitos probleminhas, do tipo vários cravinhos no braço, algumas eventuais espinhas, nascimento de novas pintas e crescimento das velhas..hehe.. além de coceiras várias... tudo muito comum na gravidez, mas bem chatinho. Como disse minha médica, na gravidez a mulher ou fica com a melhor pele do mundo ou com a pior.

No mais, vimos que Nina continua na posição pélvica (de bunda) meio atravessada. Inclusive na parte onde esta a cabecinha dela, dá até uma dor na barriga , de tanto que puxa e força e pele no mesmo lugar (como uma sensação de ter batido um musculo na quina de uma mesa). Pensamos juntas em coisas que posso fazer para ajudá-la a virar, como exercícios em casa (ficar de ponta cabeça com as pernas na parede, de quatro etc) e acunpuntura (faremos um sessão na semana que vem). Ainda temos tempo- e tenho fé em Deus! Hehee e na decisão de Valentina!- mas o quanto antes ela virar (posição cefálica) melhor, pois o espaço vai ficando cada vez mais reduzido. Dizem até que algumas ações, de certa forma engraçadas, como pedir pro pai falar ao pé da barriga, colocar uma lanterna ou musica em baixo da barriga funcionam e atraem a cabecinha do bebe!

Bom, pra não ser muito prolixa hoje, é isso. Vou lá fazer meus exercícios e ler um livro que minha médica emprestou chamado ‘Nascido no Mar’, onde a autora Chris Griscom relata, com fotos lindas, o parto de um dos seus filhos no mar do Caribe, numa água incríível de límpida! Isso é que é se sentir à vontade e segura!

Beijocas, L

domingo, 6 de dezembro de 2009

EL BARRIGON !


Se impressionem, meus caros! E ainda há o que crescer... (Aqui uns sete meses e pouco)
beijos, Lica



Vulto (essa é só um "quadro"- Olha a mão de E.T.!)



PS- Gente , colocar foto neste troço é a coisa mais chata do mundo! Me desculpem a tosqueira, mas passo muito tempo brigando com esta droga de blog para colocar imagens. Portanto, o que aparece aqui já foi resultado de muita luta!! :-)

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Todos em Reverência


Fotinho tirada por Karina em andanças por Lisboa. Massa não?!

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Quartinho e Roupinhas


Ninguém imagina a satisfação que senti este fim de semana. Depois de tantos vai e vens e desavenças com minha mãe e com Rodrigo, realizamos dois grandes passos para a chegada de Nina.

Primeiro o papai amado se empenhou de sexta pra sábado (enquanto eu fui dormir no flat da mamãe) e pintou o quartinho da nossa filha, armou o berço e já quase montou todo o quarto!!! YUPI! Muito bom isso. Agora falta a poltrona e colocar as firulas de lençóis, cortinas, colchas providenciadas pela vovó Julieta! Já esta ficando LINDO! Nossa, vocês não tem idéia do alivio que é..., de uma nova tranquilidade. Ações importantíssimas, até para acalmar certos ânimos, se é que me entendem!

No mais, fiz uma mala grande com as coisinhas de roupas dela e, no domingo à tarde, levamos para D. Elza, a bisa, para começar a lavar tudo. Santa Elza! Diz ela que adora lavar e passar roupinhas de bebê (costuma fazer isso para a família) e eu, claro, achei MARAVILHOSA essa disposição dela. Mais um ponto marcado!

Lá do outro lado, em Sto André, a vovó Adélia (mãe do Rô) está providenciando uns fuxiquinhos de tecido para decorar o quarto, assim como ela sabe fazer muito bem tudo que é de costura.
Eu reclamo da agonia, mas tenho que agradecer muitíssimo por todo este empenho que as avós e bisas estão tendo com nossa filhota. Sem elas, como seria?

Na mesma sexta-feira, CONTUDO, tivemos também dois furos: 1) fiz várias sacolas grandes de roupas, sapatos, bolsas e afins para doação e chamamos o Exercito da Salvação para retirar. Eles disseram que iriam na sexta e NADA! 2) Minha faxineira também desapareceu na sexta (preciso ligar pra ela) e ta tudo meio bagunçado lá em casa. Não convidaria ninguém pra casa neste momento! hehehe Além disso, durante a semana estávamos aguardando um armário que compramos (haja busca de espaço!)... o danado chegou todo molhado, zoado e Rodrigo mandou voltar. Ou seja, agora teremos que esperar a segunda entrega, o que nos atrasa também na organização dos guarda-roupas.

Mas, enfim, apesar desses contratempos, nada foi tão grave para que tirasse minha felicidade de já ter encaminhado as principais necessidades da pequeNina.

Beijos

Por que o parto natural é melhor?

por: Kalu Brum – Jornalista e mãe desperta

E lá foi lançado,
Depois de uma dança
A semente voou para além dos sonhos
planejados ou não
para germinar no útero.


Que mágico momento de encontro
que fez a vida
Era um minúsculo conglomerado de células e amor
Ilusões, enjôos e expectativas

Foi crescendo e nadava por um grande espaço
Que a cada dia foi ficando menor
Até que ambos não tinham mais para onde crescer
Barriga e bebê

Eis que chega a hora
Pulmões formados e um hormônio dá a largada
Para a dança da vida
O útero abraça o pequeno corpo em despedida
Aquele ser que se fez de carne de dois
e a alma de Um

A cada abraço o coração dispara
A pequena vida desperta se prepara para conquistar
Por ela mesma seu caminho
Sem drogas, sem cortes
Sem artificialismo
Respeitando seu idiossincrático bailar
Rápido como um tango
Ou lento como uma valsa

Na dor, a mãe se supera
e estranhamente sente prazer
por honrar a força vital
Descobre que seus limites são infinitos

O bebê gira dentro do corpo materno
Escorrega por onde entrou
Tendo pela primeira e única vez
A possibilidade de ser abraçado em inteireza
Um abraço que expulsa líquidos
Massageia a cabeça

E aquela mulher que se permitiu dançar
no ritmo da melodia dos seus hormônios
Vive o êxtase de sua feminilidade
Na força de seus instintos ocultos
Ela renasce com aquela vida
E se refaz com o pequeno herói nos braços

Orgulhosa por sua coragem
Cheia de amor por sua cria
Que já mama e é abraçada
Por uma mãe desperta,
Que saiu da matrix e nunca mais vai adormecer.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

NOTICIAS FRESCAS


Ontem exatamente fiz 32 semanas de gestação. O tempo começa a passar bem rápido. E Hoje fomos fazer a ultrasosm com doppler de fluxometria. Isso significa que esta ultrassom era muito importante para checar o funcionamento dos vazos e circulação dos quais o bebe depende, como arterias do utero, do cordão umbilical, da placenta. E , claro, para nós babões tambem é mais uma oportunidade de ver a pequeNINA e saber do seu crescimento. Graças a todos os anjos deste mundo está tudo ótimo, vasos funcionando bem, maturidade da placenta boa (fiquei meio preocupada com ela estas ultimas semana, pensando em coisas como descolamento, placenta prévia etc...A velha NÓIA!!) . Mas , enfim, hoje foi muito bom para eu dar uma acalmada e pensar positivo. E comemorar a nossa boa saúde.

Fora isso, vamos às curiosidades: nossa ‘pequena’ já esta bem compridinha e no peso médio – com 42 centimetros e quase 1,700 kg. Legal né??! A danadinha esta atravessada na minha barriga, com a cabeça pro meu lado direito e o bumbum pro outro lado . As perninhas devem estar encolhidas mas descendo pro colo..imaginem onde ela esta dando chutes!??? Hahahaha Exatamente onde vcs estão pensando!

Ao contrario do que a gente pensa, o mais interessante é que agora as previsões de data de nascimento começam a ficar mais incertas. A máquina de ultrassom faz um cálculo, de acordo com o tamanho estrutura, peso do bebe e nós e o médico fazemos aquele velho cálculo baseado na ultima menstruação. A máquina diz que estou com 31 semanas (e nao 32)..., assim como a DPP (data prevista pro parto) mudou um pouco...entre 20 e 28 de janeiro, podendo mesmo assim oscilar semanas antes ou depois destas duas datas. Enfim, o menos confuso é ficar com a tradicional DPP baseada na menstruação (pois como diz o médico se o bebe for pequeno ou grande, o ultrassom pode fazer um calculo para mais tarde ou mais cedo, respectivamente) e daí se preparar psico e fisicamente a partir da 38ª semana! Pra quem não teve filho ainda, ou for homem, deve dar um nó na cabeça, certo??! Hehehe

Minha mãe me perguntou , “mas, enfim, quem tem razão?” . Eu respondi efusiva:“ ELA, Valentina!!! Que vai escolher a hora de chegar!”. Só nao vale ficar perguntando demais se já nasceu, se não atrasou , se já não esta na hora, ou porque não faz logo a cesarea! Muita calma nessa hora! Nada mais angustiante para a gravida.

Bom gente é isso! SAUDE pra nós todos e dedinhos cruzados para que tudo continue bem!

terça-feira, 24 de novembro de 2009

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

MENOS FLORES


Andei meio sumida esses dias. Estava meio tristinha mesmo. Pois é gente, eu não sou de ferrro e não sou 100% alto astral. Tenho receio de ficar postando aqui minhas angustias e momentos mais chatinhos, justo por achar que aqui deveria ser um espaço só de alegria. Mas trata-se de um lugar sim, para alegrias e angústias. Mais, globalmente falando, sobre a minha gestação, confere?

Algumas coisas que deveriam ser de intenso prazer, de diversão, acabam nos trazendo dor de cabeça. No meu caso é que, no momento, tenho que preparar, impreterivelmente, o quarto da minha filha (depois de organizar festas em Recife e São Paulo, viagem, enxoval etc..) e a pressão da família tem sido muito grande. Sei que sou mãe de primeira viagem, que elas tem experiência, que querem ajudar, mas tem sido difícil conciliar tudo – trabalho, cursos e mais cursos – e satisfazer todos os ânimos. Tenho sofrido com a situação, pois se eu pudesse estalar os dedos e ter tudo pronto seria lindo... dormiria tranqüila. Mas, apesar de estar dando andamento às coisinhas, nada fica pronto de um dia para o outro. Ainda mais em se tratando de uma mudança geral que faremos na casa.

Para piorar a situação, de uma lado a família acha que estamos atrasados, do outro meu amado marido pensa que há exagero ou precipitação e algumas frescuras. E eu no meio, como bola de ping pong. Cansa só de tentar administrar todas as opiniões. O pior de tudo é que estamos SIM fazendo várias coisas (e o RÔ tem ajudado bastante), mas acho que enquanto o ninho da Valentina não esteja totalmente pronto, completo e lindo só aguardando sua chegada e visível aos olhos de todos, ninguém vai aquietar.

Mas minha maior angustia de todas não é nem o material. O que está organizado ou não. Pois como diz uma amiga: “Tudo que nosso bebe precisa é de um colo carinhoso, um peito farto de leite e fralda limpa!!” O meu maior problema é o pensamento ruim. Achar que minha filha pode vir a qualquer momento. Que ela pode decidir se antecipar. Não gosto nem de pensar, mas tenho ate sonhado e temo a cada dia esta possibilidade. E toda esta situação apenas fomenta, ratifica meu medo (pois as ideias casam bem). E daí, sim, se isso acontecesse, eu me sentiria a maior culpada do mundo.. e teria que engolir as palavras e recomendações de todo mundo.

Gente, é muito difícil. São muitas vontades envolvidas.... E isso é apenas o começo. Daqui pra frente só piora. Meu mantra: paciência, paciência, paciência....

Beijos e desculpem o desabafo.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

A DOR DE CADA UMA


Ultimamente, tenho visto e lido muita coisa sobre a dor. A famosa e tão temida Dor do Parto. E resolvi registrar algo sobre isso e o que ela tem significado para mim.

Acho que ao passar do tempo tenho cada vez mais olhado-a com outros olhos. A palavra dor (me refiro a do parto) tem tomado outra dimensão e adquirido novas nomenclaturas para mim. Claro, não vou dizer que não tenho medo e que ela não vai existir, mas ao menos tenho desenvolvido uma maior afinidade com ela.

Normalmente, quando sentimos Dor ela está automaticamente associada a algum problema, deficiência do nosso corpo, reação a doenças, ou a um acidente. Tudo isso remete a algo ruim, sofrível que, não remediado, pode piorar ou progredir para um problema maior.

A dor do parto é ‘contraditória’- no bom sentido. Ela é quem faz todo o trabalho pela mulher (pois as contrações são responsáveis por abrir espaço para o bebê passar). Ela remete a PROGRESSO. Ela quem vai nos aproximar cada vez mais do (a) nosso (a) filhinho(a). Ou seja, diferente da dor da doença, esta “dor” só vai culminar em algo bom, gratificante e transcendental – como várias mulheres dizem – que é o momento do nascimento do bebe. Então, como li em algum lugar, se esta dor é inevitável, devemos torná-la nossa aliada. É saber que aquilo é algo positivo e que, enfim, não trará uma lembrança triste ou ruim e sim o maior dos eventos universalmente: a chegada de uma vida.

Lembro de uma senhora que conheci que falou: “Eu tive quatro filhos. Os três primeiros normais e o último cesária. Mas eu nunca sofri e senti taaaaaanta dor na vida como na recuperação da cesárea!” Incrível não, como uma pessoa que conseguiu suportar a “dor” de três partos normais, achou a recuperação de uma única cirurgia pior do que as experiências anteriores?!

No mais, acima, escrevi dor com aspas mesmo, porque além de achar injusto chamar as contrações do nascimento de dor, há ainda uma outra questão: a generalização dela! É sábio que cada pessoa, cada mulher tem uma tolerância diferente à dor. Cada um tem sua própria e cada um a suporta diferentemente. Então não existe uma maneira de mensurar ou qualificar sua dor como sendo a minha. E na do parto algumas agüentam até o fim sem um pingo de anestesia e outras não conseguem nem o começo.

O que me intriga é não tentar. É fazer um monstro e toda uma definição prévia, sem nunca ter experimentado. É o caso da mãe de uma amiga. Diz ela que a mãe fez 4 cesarianas por puro medo da dor. Mas como ela deduziu como seria??
Antes o caso de uma outra amiga que chegou a sentir o começo do trabalho de parto, teve 4 centímetros de dilatação, mas acabou pedindo a cesárea. Pelo menos ela tentou. E conheceu as suas contrações. Mas mesmo isso é delicado falar, pois cada gestação é um mundo diferente, são reações diferentes, sintomas diversos.

Bom, o que sei é que a cada dia quero mais experimentar esta dor. Quero passar pelo processo. E quero ver o progresso por meio dela. A dor do parto me é desconhecida. Muitos me chamam de corajosa, outros perguntam se sou louca (com ênfase: “Tu é dooooida??”), outros disseram que admiram. Mas o que quero mesmo é dizer: eu senti, eu sei, eu conheci! E no final de tudo, triunfalmente: “Eu suportei”!

Beijos carinhosos

domingo, 15 de novembro de 2009

CHÁ DE BEBÊ - Recife


A
qui estão algumas fotinhos que tiramos lá em Recife, dia 29/10 (no feriado de 02/11), no chá de bebê da nossa princesinha, lindamente e dedicadamente organizado pelas minhas irmãs e mãe.
Vejam que fofura a decoração e docinhos!

Além disso, tive a presença ilustre das grandes amigas de longa data Ju Rene, Tita, Juanita, Renatinha, Maga, Cynthia... Foi otimo!

Os homens , claro, liderados pelo tio-bebedor-profissa, ficaram no jardim curtindo muito whisky. Enquanto a mulherada fazia estripulias comigo para acertar os presentinhos. Mico total!













Tentando mostrar pro Rô a todo custo a babá eletronica


Biquine com brigadeiros da madrinha


Com a minha vovó e bisa de Nina

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Doulas do meu Brasil


Oi queridos!

Ontem fiz 30 semanas de gravidez... Agora ficamos numa tal de contagem regressiva... (antes era progressiva). Imagina quando a mulher completa umas 38/39 semanas??! Cada minuto deve fazer diferença.

Bom, no mais, queria contar que ontem conheci minha possível Doula (pra quem não conhece ainda segue uma idéia do que é:
http://www.doulas.com.br/doulas.html)
Passamos três horas conversando em casa e a achei muito bacana. Foi indicada pela minha própria médica, que pretende dividir o trabalho de parto com ela. Achei-a uma pessoa de índole muito boa, ao mesmo tempo simples e embasada (é enfermeira obstétrica também). Apesar de bem mais novinha que eu - tem 24 – hehehe parece ser uma pessoa bem responsável e determinada. Me fez lembrar minha irmã caçula Dani (e MADRINHA de Nina!!!) que é super responsável e às vezes dá bronca na gente! Hahaha. Aliás, a ‘pirra’ agora esta na China trabalhando muito!

Voltando à doula, nós vamos ter mais um encontro pré-parto, lá pras 35 semanas, com direito à apostilinha e dicas de preparação. Acho muito interessante ter alguém que, na hora H, ao mesmo tempo vai te dar apoio – acrescido do conhecimento de causa e do jargão médico – te faz massagens, te acompanha nos banhos, banheiras etc, pode até te pôr uma musica, trazer uma comida...sem necessariamente ter a intimidade de um parente muito próximo.
Ter um ente familiar por perto também é essencial, importantíssimo, mas em certas situações (e que situação duradoura e delicada!) todos sabemos que família e intimidade demais pode nos complicar. E como ninguém da nossa família – às vezes, nem mesmo o pai - tem tanta informação na caixola, como a doula/médico e a parturiente em questão (que, se for igual a mim, vai virar expert em parto!), nada mais natural para o parente em se ver angustiado ou impaciente, e para a mamãe em possivelmente escutar algumas ‘opiniões’ ou recomendações emocionadas por parte do familiar (em geral, imbuídas de intenção “protetora”).

Também não quero ficar pedindo que meu marido ou minha mãe acompanhem ou memorizem meu Plano de Parto
Sei que devem ver o plano, ou ficar sabendo o que tem lá...mas na hora que a coisa pega, nem acho que eles devam ser obrigados a saber e lembrar de tudo.

Enfim, a doula é uma mão e tanto. Ou melhor, duas mãos e uma cabeça! Com ela, poupamos o médico, outras pessoas e ainda podemos perguntar tudo! Que venha nossa doula e a distribuição das funções! ;-)

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

E o Homem criou a Cesárea...

Oi meu povo!

Cá estou eu de novo para falar sobre o velho assunto do parto. O problema é que quanto mais a gente mergulha no assunto, mais assustada vai ficando em relação ao pensamento geral, inclusive feminino, sobre a forma atual de nascimento dos filhos, no Brasil!


Na minha volta de Recife fiquei pensando em várias frases – que acredito serem inocentes! - que escutei por lá de amigas e família que deixavam explícito o seguinte fato: as próprias mulheres, ex-grávidas, mães recentes, maridos e até crianças (pasmem!) estão CONDICIONADOS automaticamente a pensarem em primeira mão e veemente numa só forma existente de parto, que é a do parto cesárea. Estando o parto normal numa distância abissal da ‘ realidade’ deles.

Não apenas em Recife. Pois aqui em SP, antes, também já escutei todo tipo de comentários, no trabalho, no salão, de amigas... Comecei a fazer um apanhado de muitas frases faladas de forma natural e inconsciente (ou não!), que provam minha tese. Seguem algumas sem dar nomes aos bois, quase dando, e me desculpem as pessoas que se identificaram. Queria deixar claro que respeito a opção de cada mamãe (o corpo e filho, a mente, a condição financeira, os ideais são dela e de mais ninguém...). Tudo vai depender de uma gama de fatores muito complexos. Só não concordo com a idéia de que o parto normal seja excluído – como método inexistente, obsoleto, sofrível – sem nem sequer ser pensado, analisado, estudado... Mulheres, se informem, leiam! Não viremos robôs!

E, finalmente, às frases! Com ‘alfinetadas minhas’!! hahaha

- (falando de cicatrizes) ...”Ah Leticia, você vai ver, a cicatriz parece com a da cesárea!...”
(quem disse que eu vou ter a cicatriz?? Espero nem saber como é!)

- “ Eu não pretendo ter normal... essa coisa de ficar respirando aff, aff , aff, uff, uff uff, fazendo força...”
(em muitos partos a mulher fica serena e não precisa da respiração frenética e incessante)

- “Lica, você já marcou a data do nascimento?!”
(não, e não quero marcar... serve a DPP – data prevista do parto?)

- (da minha sobrinha de seis anos falando da minha barriga) “Tia Lica, vai doer muito quando cortar né?!”
(pode?? A bixinha dessa idade já acha que minha filha só pode sair dalí por meio do bisturi!)

- “eu não quis ter normal pois, como tenho pressão baixa, fiquei com medo de desmaiar ..”


- (de uma amiga impressionada) “Vc sabe se sua médica dá anestesia?? Pois teve uma amiga que acabou de ter normal a cru!!”
(gente, rola muuuito de as mulheres terem SEM anestesia!..Alias, as mais puristas já colocam no plano de parto que não querem de jeito nenhum, para não influir na força e nos movimentos de expulsão)

- (de um papai) "Quando minha mulher ficou gravida, eu mesmo escolhi o parto.. disse logo ao médico que queria cesárea. Fiquei com medo... e tem muita gente aí que até hoje tem pesadelos que está preso num túnel, asfixiado..."

E, pra finalizar, como uma colega brincou numa reunião de grávidas: “Minha amiga só faltou dizer ‘me dá anestesia geral, faz o parto e só me acorda quando o filho estiver com 18 anos’!!!” hahahahaha Demais!

PS- Estou com 29 semanas..Ui, ui! Daqui a 10 a coisa pode pegar!


Beijundas, Lica

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Filhota Viajadeira

Estamos de volta a São Paulo, eu Rô e Valentina. Fomos à Recife para o feriado, rever todos antes que eu fique muito grande ou impedida de viajar.

Tadinha da minha bebê, tem que ter este nome mesmo, pois essa menina é ‘valente’ desde o principio. Já é a segunda vez que vou a Recife grávida, ralei na Flip em Paraty (no comecinho), andei de teleférico em Campos do Jordão... e a coitadinha vive neste vai e vem. Às vezes bate um peso na consciência, um medinho...

Falo isso tudo, pois na verdade estou aqui acabada! Chegamos em Guarulhos três e pouca da madruga, fui dormir às quatro e pouco e tive que acordar umas 9h30 pra ir ao trabalho. Guenta coração! Guenta barrigão!

Além disso, Nina andou de avião, carro, lancha... Lá em Barra Grande, fomos passear na lancha de tio Estevinho e sem dó o titio não parou de correr naquele barco! Passei a noite pensando na minha pequenina, torcendo para que estivesse bem, depois dessas chacoalhadas! Muita emoção para dois corpos só!
Por favor, não me dêem bronca! Já levamos (eu e o Rô também) uma bronca grande da Bisavó!

Em brevíssimo volto aqui para falar um pouco do chá que tivemos lá em Recife, reencontro com a família e as amiguinhas, fotinhos...

Beijoca, Lica

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Monty Python - " O Milagre do Nascimento"

Aqui está um vídeo muito bem-humorado e sarcástico,
sobre a forma como tratam o parto atualmente.
Quem conhece o Monty Python, já imagina o quão irônico são.
E olhe que neste vídeo eles ainda colocam "parto normal"...
aqui no Brasil seria todo na cesárea mesmo. Isso é porque o
grupo é europeu, onde o normal ainda é mais comum.

Bem engraçado, aproveitem!! ;-)
(Destaque para a 'sala espanta feto' e a
'máquina que faz 'PING'! )

Beijos, Le

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Gravidez é saude também


Gente, ontem queria muito ter escrito, mas estava um tanto abusada e cansada (tinha dormido mal na noite anterior) e foi ate melhor para o ‘nosso’ bem. De quem escreve e de quem lê. Ontem foi um dia muito importante, pois fiz 6 meses de gestação (27 semanas).

Para abrir o post com chave de ouro (tenho um monte pra contar!), queria falar um pouquinho da minha emoção na ultima ultrassom. Pela primeira vez vi o rostinho da minha pequena. Foi maravilhoso! Ela aparentava tranqüila, com os bracinhos cruzados e mãos perto da boca. Incrível! Imagina ao vivo, podendo tocar!

No mais, segundo o médico, estamos super saudáveis. Com cerca de 900g e 33 cms! Fiquei pensando ‘nossa, compridinha, para um bebe que nasce com mais ou menos 50 cm!’ Mas esta dentro da média. Alias em tudo! :-) O médico foi me explicando e mostrando os gráficos e tudo batia, na linha certa, nem grande, nem pequena, nem gorda, nem magra, coluna perfeitinha, ritmo cardíaco normal...tudo nos conformes! A placenta também esta boa, líquido aminiótico ok... enfim, estamos ótimas, um brinco! Saí de lá com o sorriso no rosto e torcendo pra que tudo continue bem até eu conseguir ver seu rostinho fora de mim!

Alias, complementando isso tudo, tenho recebido uns elogios bem gostosos, super gratificantes e animadores. Hoje mesmo eu estava num restaurante e uma mulher olhou pra mim de frente e disse “Que gravidinha mais elegante!! Magriiinha!”. Fiquei muito feliz e confiante. Ontem também as colegas de trabalho falaram “Lê, vc está super bem, só com a barriguinha!” Fora algumas pessoas que te perguntam informações na rua, sem conhecer , comentam, desejam sorte! Dá um bem-estar incrível e, novamente, vc experimenta uma solidariedade geral.

Falando em solidariedade, queria AGRADECER MUITO por todos os amigos (especialmente as amigas, confesso!!) que têm escrito aqui, comentado, me emocionado e dado força. Pessoas que nem acreditava que escreveriam... Não posso nem citar nomes, mas estou muito feliz, meus amores, com a repercussão e o feedback. Mando um beijo pra cada um(A) de vcs com muito carinho. AMO TODAS! Ah, e minha mammy agradece também , afinal de contas , o quadro dela fez sucesso! Por coincidência, Nina acabou de dar uma boa mexida! Acho que sentiu o que estou dizendo e quis dar um oi também!

Pra terminar, ontem foi engraçado. Fui numa reunião de grávidas perto de casa e fiquei impressionada. Tinha uns quatro ou cinco mulheres com a chegada do bebê prevista para a mesma data da minha!! Ou variando um ou dois dias! Daí disseram: Nossa, o que aconteceu de abril pra maio? Daí eu respondi: “Foram três feriadões quase seguidos!!” kakakaka, aproveitamos né??! ;-)

OBS - Povo de Recife, programe-se! Quinta, 29, o trio ‘edificações’ (Pontes & Passarelli) estaremos aí para comemorarmos num chazinho de bebê. QUERO TODOOOOS lá, com filhos, maridos, cervejas, sucos e afins! Graças às minhas irmãs Cacá e Dani a reunião vai ser possível, pois elas, com muito amor, estão me dando uma força organizando. 20h, no Atelier Ufficci!

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Dia da MINHA Criança


No ultimo feriado (12/11) fomos eu, Rô, Nina na barriga e minha mãe à Cananéia pra casa da minha sogrinha Adélia






.












Eu e as avós (Julieta e Adelia)


Barriga ao vento na balsa de Cananéia




Com o papai maravilhoso!! AMO!

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

De quem é a "culpa"?


Contrapondo um pouco o post anterior, hoje passei por uma situação que faz a gente, se não colocar os pés no chão, pelo menos saber que há momentos e momentos em se ter um filho.

Estava numa loja provando uma blusa, quando no provador do lado, ouvi uma barulheira entre mãe e filha... Ela devia ter uns 5 ou 6 anos e gritava muito, muito alto, “bibiiiiuuu!!! olha o bibiu da minha mãe”. E repetia guturalmente a mesma palavra e frase umas trocentas vezes num espaço de mínimo de tempo... A mãe pedia para ela se calar. A menina saia correndo e voltava ao provador da mãe. Esta, depois de uns minutos de inferno solta um: “ Quero que alguém me diga qual o beneficio em se ter filhos!!”. Eu inocentemente ao lado engoli seco! Hehehe... E continuei escutando umas lamúrias da mãe (enquanto a filha encarnava o bichinho da Tasmânia) do tipo chocante “ninguém agüenta mais essa menina, só eu mesmo porque sou a mãe!”.. Ate um momento em que, para fechar o filme de terror, a mãe chama a garota umas duas vezes e a pequena responde para a própria mãe: “O que é vaca!??” A idiota da mãe deu uma resmungada reclamando do que ela falou, mas teve a coragem de dizer: “ Se eu sou sou vaca, seu pai é o boi!!” Parece engraçado, mas minha vontade era sair dali e pegar o braço das DUAS com força e dá-lhes uma bela bronca! Na menina E na mãe!!! Como pode?? Que espécie de dialogo é esse? Não sei qual era a pior das duas... (apesar de achar a menina muito mais difícil!).

Um dia vi numa entrevista com a super nanny (aquela de sotaque, do lencinho no pescoço): “Quem precisa da nanny não são as crianças e sim os pais delas!!” OU seja, de quem é a ‘culpa’? Se é que há?

Em suma, meu problema é: e a educação??? Como fazer? MEDAaaaaaaaaa!!!! Ainda bem que tenho em Rodrigo um porto seguro. Segurissimo! Ao menos pra mim.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

O AMOR À CAUSA


Estou adorando estar grávida! E creio que até estou criando um certo vício em relação a isso. Só penso nisso, respiro o assunto, trabalho com isso, falo disso, leio...
Ate quando estou em pleno momento de relaxamento na Yoga, fecho os olhos e só penso na minha filha, no parto, nas coisitas relacionadas.

Na verdade, eu poderia ta ficando doida e cansar às vezes de toda a historia. Mas não. Neste feriado, passei três dias fora...sem escrever seja sobre Nina, seja sobre gravidez em geral ( e já voltei com saudade! hahaha) Mas não resisti e levei dois livros... um ‘normal’ e outro, claro, sobre gravidez que terminei! Alias um livro maravilhoso, tocante , inteligente, simples , mas profundíssimo, que dá vontade de ler várias vezes. Chama-se “Quando o Corpo Consente”, de três francesas (mãe -terapeuta, filha que esta grávida – jornalista- e uma parteira) . MUITO BOM! E por sinal, ofertado (de novo ela) pela minha querida Patty. Fiquei vidrada e muito emocionada com várias mensagens e até sensações que elas passam. Uma coisa interessante, por exemplo, é analogia feita entre conhecimento e nascimento. Ora, “connaissance” em francês – que quer dizer ‘conhecimento’, nada mais é, literalmente traduzido, um “co-nascimento”. Ou seja, conhecer algo ou alguém, é também experimentar um novo nascimento. Enfim, e a maternidade, em todos os seus ângulos, fases, camadas descobertas, é simplesmente isso um eterno conhecimento, um aprendizado, um novo e inexplicável conhecimento.

Voltando à minha satisfação, não paro de pensar e repetir para mim mesma o quanto estou sendo afortunada, sortuda, nesta gestação. Até o momento só tenho a dizer o quanto tem sido especial. E reitero, é ‘quase rápido’ os nove meses!!! Levando-se em consideração que a gente já descobre com uns dois meses e que eu, no caso, só tenho pouco mais de três meses pela frente. Por mais que a gente converse (pensando agora também no Rô), fale, pentelhe, sempre há mais pra se dizer, curiosidades e experiências para se contar. E dá uma sensação de que, na tentativa de se controlar um pouco, o tempo não será suficiente para contar tudo e nos prepararmos, nem que seja de forma psico e tecnicamente falando (pois a realidade e a pratica nem caberiam aqui agora).

Na ultima vez que fui à medica, semana passada, ela disse que nem haveria tanta necessidade de fazer uma nova ultrassom, antes das 32 semanas (estou com 26), mas acabei dizendo , quase que pedindo com uma carinha carente : “Eu adoro fazer ultrassom, porque assim eu revejo minha filhinha e mato a saudade”. Daí, claro, com um sorriso do lado da boca, ela me passou um novo exame. Só para nossa deleite! Que farei nesta sexta.

Pra terminar, hj tive mais uma constatação do quão sublime é uma criança. Entrei no elevador com uma bebe no carrinho (de um ano e pouquinho talvez) e seu pai...e depois de algumas palavras e um sorriso lindo , perguntei, mais ao pai pra ser sincera.. “como chamo?” e ela mesma se adiantou , sem nem saber falar direito, “ LAUA”! E eu já treinando o ‘bebêabá’, repeti ‘Laura, que lindo!’ Parece bobo, mas me senti orgulhosa de entendê-la e mais ainda de ter a
“ VAETINA” em mim.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

El Bucho!


Mais uma imagem da minha barriga... antes de ir à Yoga...







E aqui na própria Yoga... puro relax!



terça-feira, 6 de outubro de 2009

DE MÃE PARA MÃE

Hoje fiquei muito emocionada com uma surpresa que minha mãe, e vovó de Nina, me fez. Este belo quadro abaixo é de autoria dela (Julieta Pontes) e se chama 'Anunciação'.

Palavras dela:
" Lica, o primeiro quadro eu pintei em homenagem a Valentina em vc! É meu presente.
Difícil de entender? São seus irmãos e eu do seu lado direito! O coração azul é seu pai...Essa é minha forma de expressar o que senti qdo vc nos anunciou a vinda de Nina que já é tão querida!
Sua mãe."



Lindo não??
Obrigada mãe, por ser quem você é e me surpreender!


bisous

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

PÍLULAS DO DIA:


- Começam as indagações e sugestões sobre o quartinho da bebê. Primeiro passo: trocar o piso de carpete. Nina vai ganhar o maior quarto da casa! Haja coisinha...Hoje Rodrigo foi buscar o piso na Leroy...para daí ser colocado.

-
Disseram que minha barriga dobrou de tamanho em 15 dias.. :-(

- Amanha terei minha segunda consulta com minha médica de ‘parto normal’...várias duvidas na cabeça (peso, alergias, cabelos, movimentos da barriga, doula etc ). Espero que ela passe uma nova ultrassom, para que eu reveja rápido minha gatinha!

- começo a sondar o dia melhor para fazer meu chá de bebê , 07 de novembro ou 14/11?? Alguma sugestão? Quem puder já me avisa aqui quando está disponível!


beijos da maman

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

GORDA, EU???


Aqui estou eu com a barrigona de cinco meses. Muitas pessoas estão dizendo que está grande, mas muitas também dizem que eu estou muito bem , ou seja, "só a barriga".
Não sei bem porque é a minha primeira né?! ;-) Mas me achei bem estranha nessas fotos, gordinha e de rosto redondo (talvez o vestido não ajudou, mas essa foi a melhor foto). Até o momento já engordei quase seis quilos. Portanto, tenho que tomar cuidado , pois dizem que depois do sexto mês é que a coisa pega e a gente começa a crescer desvairadamente. Tenho meda! No recomendável, só tenho mais 6 quilos a engordar, no máximo!

O que é interessante é que nem estou comendo tanto assim. Meu apetite esta o mesmo que era antes de engravidar e inclusive, nem faço lanchinhos eventuais (apesar de ser melhor...). Quando como muito me dá uma sensação terrível de estufada e parece que estou forçando mais ainda minha barriga a esticar. Como eu costumo brincar "não tem espaço suficiente para comida, o bebê e ainda respirar. Tem que escolher..."!

Sem falar na azia que tem me atacado frequentemente. Ô negocinho chato, se você come ataca, se você passa horas sem comer ataca mais ainda. Não tem magnésia, leitinho ou ate sal de frutas que chegue (este não é bom tomar muito). Enfim, acho que vou para o farol cospir fogo e ganhar dinheiro com isso. Se depender das minhas queimações, vou fazer uma fortuna!


beijos e boa noite (vou correndo tomar meu leitinho antes de dormir...)


domingo, 27 de setembro de 2009

VAI UM DRINK?


Antes de ficar gravida, quando conversava sobre o assunto com a Lu, grande amiga daqui de SP e companheira de alguns drinks, ela sempre indagava rindo : “mas Letucha , como vc vai passar mais de um ano sem beber?” E ainda hoje, ela acha a ideia um dos ‘piores problemas’ de gravidez.

Ainda esta semana mandei para ela uma noticia que achei engraçada e que comungava com minha atitude em relação à quantidade de bebida na gestação. Dizia mais ou menos assim:

 

“Uma pesquisa britânica afirma que meninos nascidos de mães que consumiram quantidades "leves" de bebidas alcoólicas durante a gravidez têm menos problemas de comportamento do que filhos de mães que se abstiveram totalmente do álcool.”

 

Link na íntegra: 

http://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI3297746-EI8147,00.html


 Ela me responde com algo tipo: “Com isso, já dá para repensar sobre assunto...”  hehehe
Já eu, replico já jogando um pouco de água fria na opinião dela dizendo que... pensando bem, diante de todos os fatos, esse nem era um dos maiores problemas. 
Ou seja, para mim, nesta pouca experiência pessoal, tem tanta coisa pior a se preocupar ou mesmo a se deparar, como enjôos terríveis, azias matadoras durante uma semana inteira (meu caso! hehehe), sono, insônia, inchaço e , enfim, o danado do parto!  E olhe que fui muito feliz e não enjoei quase nada!!! Imagina aquelas mulheres, como minha mãe e minha irmã mesmo, que passavam o dia inteiro vomitando ao ponto de emagrecerem no começo!?? É muito triste, desagradável e estraga qualquer atividade que você queira realizar. Sem falar em depressão e outros problemas mais sérios.

Depois desta previa rápida, o que acham?? É difícil deixar de tomar uns pileques? De jeito nenhum, acaba passando fácil! Além de que, existe também a suposição que alguns mulheres ate não apreciam muito dos gostos ou dos odores da bebida...como se o corpo tivesse se adaptando sozinho à situação. Confesso que em alguns momentos me acontece isso. E parece que esta tese se aplica mais ainda àquelas que gostavam de fumar...Já vi muita gente dizendo de não tinha vontade.

Enfim, beber levemente entenda-se por tomar (quando dá vontade!) um ou dois drinks no máximo duas vezes por semana. Não é péssimo. Principalmente para quem aprecia – e nesse caso é apenas degustar mesmo - um bom vinhozinho como eu.

Então 1 brinde de champagne à minha pequenina!



Eu minhas Jus que amo